A Rua Das Pretas é uma tertúlia musical lusófona nascida em Lisboa na casa do músico brasileiro Pierre Aderne. Música, storytelling, vinhos, amigos chefs de cozinha, produtores de vinho e escritores, apareciam em diversas noites, que aos poucos se tornaram o sonho de consumo de inúmeros lisboetas. Por lá passou a fina flor da música em língua portuguesa, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Ana Moura, Carminho, Tito Paris, Camané, Salvador Sobral, entre tantos outros, além de cantores do jazz e da bossa nova como Madeleine Peyroux, Melody Gardot, Jesse Harris ou Anna Maria Jopek. Há dois anos a Rua Das Pretas mudou-se para um palacete privado do século XVIII na Praça do Príncipe Real, onde o público tem uma vista deslumbrante sobre o Tejo. Neste momento já passaram por lá mais de 3.000 pessoas de todo o mundo, inclusive 140 artistas da chamada World Music. Entretanto, a Rua Das Pretas foi até Nova Iorque gravar o seu “Wine Album”, o álbum de estreia produzido por Hector Castillo. Pouco depois chegou ao palco do Coliseu dos Recreios e em digressão pelo mundo: Madrid, Paris, Berlim e Nova Iorque. Rapidamente se tornou sucesso também na imprensa nacional e internacional, colecionando elogios de publicações internacionais como a Forbes ou a Mojo. E agora, este extraordinário projeto sobe ao Palco Ermelinda Freitas instalado na Escadaria da Altice Arena, no NOSSA LISBOA, dia 10 de setembro.